UMDI - Medicina Diagnóstica

Central de Atendimento ao Cliente: (11) 4798-9999

Algumas novidades:

Mogi ganha centro de diagnósticos.
Matéria publicada em 10/03/2015

SAÚDE: UMDI inaugura moderna unidade para exames de imagens e prepara abertura de um novo hospital no Pq. Monte Líbano, em Mogi das Cruzes.

Mogi das Cruzes terá oficialmente, a partir do dia 12, um dos mais modernos serviços de diagnósticos por imagem do País. Trata-se da “Unidade Praça” da UMDI, que será inaugurada com um coquetel, a partir das 18h30. O prédio instalado na Rua Professor João Cardoso Pereira, 152, no Parque Monte Líbano, em frente Praça Francisca de Campos Mello Freire, foi totalmente reconstruído e está programado para abrigar um hospital nos quatro andares superiores, que deve entrar em funcionamento até o final desse ano.

Segundo o médico radiologista e sócio-fundador da empresa, Nitamar Abdala, 52 anos, essa nova unidade da UMDI possui infraestrutura de ponta e equipamentos de alta tecnologia. “É o que chamamos de unidade Premium. Temos, agora, disponíveis à população, todos os métodos diagnósticos de imagem e com um conforto maior. Nós desativamos a unidade da Rua Barão de Jaceguai justamente para concentrar nesse novo prédio nossos serviços, afinal, somente da UMDI, são 1,5 mil metros quadrados, além de outros 3 mil m2 do futuro hospital”, explicou o médico.

Ele disse que os pacientes passam a ter a disposição equipamentos com alta tecnologia, como ressonância magnética 3-Tesla, por exemplo, que tem uma resolução muito maior do que os demais. Aliás, esse aparelho de ressonância, que tem um custo de R$ 4 milhões, é diferenciado pelo tamanho, já que o diâmetro da câmara onde o paciente fica é superior aos comumente usados, o que evita a sensação de claustrofobia tão temida por quem precisa desse tipo de exame.

“Também temos ressonância magnética de campo aberto; tomografia computadorizada de 128 canais, que realiza exames das artérias coronárias em questão de segundos; mamo- grafia digital; densitometria óssea de corpo inteiro; exames de raio-X contrastado; ultrassonografia de alta resolução, entre outros serviços oferecidos”, completou Abdala.

A “Unidade Praça” – o nome, aliás, ainda é provisório – possui 250 funcionários, contando com um corpo médico formado em sua maioria por profissionais
da Escola Paulista de Medicina, onde Abdala coordena o Departamento de Radiologia. Tem a capacidade para fazer 1,2 mil atendimentos por dia particular ou convênios. Ainda em Mogi, a UMDI, fundada em 1988, conta com uma segunda unidade na Avenida Voluntário Fernando Pinheiro Franco, no Centro, além de outras duas em Suzano e Itaquaquecetuba.


Foco do hospital é atendimento de AVC.

Acima da “Unidade Praça” da UMDI foi construído um prédio que irá abrigar um hospital geral voltado para cirurgias com 45 leitos, sendo 10 para Unida- de de Terapia Intensiva (UTI). A intenção de Abdala é a que até o final do ano esse novo equipa- mento de saúde esteja em pleno funcionamento. “Não será um hospital de portas abertas, não tendo, por- tanto, pronto-socorro. Nosso foco são as cirurgias e a UMDI prestará serviços de exames para respaldar esses procedi- mentos cirúrgicos. Teremos uma hotelaria de primeira, além de outros diferenciais, mas podemos destacar a sala híbrida onde o paciente passará por uma angiografia e no mesmo local poderá se submeter à cirurgia, dando agilidade ao processo”, ressaltou o médico, destacando que mais 80 funcionários serão admitidos quando o hospital funcionar.

Apesar de ser particular, a unidade hospitalar da UMDI de- verá fazer uma parceria com a Prefeitura de Mogi das Cruzes para atender aos Mogianos, sem distinção, que necessitem de cuidados após um Acidente Vascular Cerebral (AVC). A ideia, inédita, do médico e sócio-fundador do grupo Nitamar Abdala é oferecer toda a estrutura de equipamentos e profissionais especializados para o Município. Denominado “Projeto AVC”, segundo Abdala, a intenção é que exista no hospital uma equipe de ponta em hemodinâmica, o que possibilita fazer trombólise, que é um processo pelo qual os coágulos podem ser dissolvidos se o paciente que tiver sofrido um AVC seja atendido em até seis horas. “Nesse tempo, com nossa estrutura e médicos específicos, conseguimos reverter possíveis sequelas causadas pelo AVC. Será possível trazer para cá, em poucos minutos, pessoas da periferia da Cidade com o auxílio do SAMU, por exemplo. Nosso atendimento é particular, mas nesse caso nos colocaremos a disposição para cuidar desses pacientes. Ainda é uma ideia, mas tem tudo para dar certo”, ressaltou Abdala. O Acidente Vascular Cerebral ocorre quando há um entupimento ou o rompimento dos vasos que levam sangue ao cérebro provocando a paralisia da área cerebral que ficou sem circulação sanguínea adequada. Entre os sintomas da doença es- tão diminuição ou perda súbita da força na face, braço ou perna de um lado do corpo; sensação de formigamento; perda súbita de visão num olho ou nos dois olhos e alteração aguda da fala. As pessoas com esses sintomas devem procurar o hospital mais próximo, imediatamente. (S.P.)

Voltar